Siga-me.

2 de setembro de 2010

Correntes soltas.

Prefiro crer que estou certa em sentir coisas que tantos passam por essa vida e não se permitem sentir, como a dor de libertar alguem sempre que há o entendimento de que cada um é responsavel por si e por seus atos e sentimentos. Dói muito a consciência da nadificação e a busca por uma alma libertária. A aceitação ao outro é a maior das lutas. A aceitação do que é o espírito humano é a maior das batalhas travadas na alma. Familia, filhos, amores, inimigos, amigos. A libertação se faz sempre necessária a cada percepção de bater de asas alheias, mas a dificuldade em soltar as amarras é atroz e sangra. É sobrehumano. Difícil chegar lá e para poucos. Quase inalcançável. Mas eu quero e prefiro crer que estou certa.

2 comentários:

Cria disse...

... coberta de razão ... Beijo carinhoso !!

Karine disse...

Concordo: quebrar correntes, além de doer, dá trabalho. E a maioria prefere o caminho menos árduo. Bjo.