Siga-me.

28 de agosto de 2006

Natureza Humana...

Ontem estava trocando muitas idéias com um moço que não via há algum tempo. Na verdade nos conhecemos por acaso, numa noite apenas, que, por acaso também, foi uma das mais divertidas das nossas vidas. Nunca mais havia encontrado alguém que fosse tão bom interlocutor e não sabíamos que éramos assim, porque nessa noite, só rimos, dançamos e bebemos muito com algumas outras pessoas. Ontem nos “enxergamos” mais de pertinho... Conversamos sobre tudo e tantas coisas, e, parece que ainda faltava assunto.
Ficamos deslumbrados com nosso papo e já marcamos para outros momentos...;-)
...........................
Esbarramos numa constatação que eu sempre tive, acerca da vida, mas não achava que alguém pudesse pensar no caso, como eu sempre penso: sobre a natureza humana. Na verdade eu o alertei sobre esse termo, que uso sempre...
O entendimento da natureza humana, que vem já com um ”pacote” de coisas (coisas, leia-se sentimentos, desejos, medos, dores, alegrias, prazeres, por aí..), desde que concebida.
Como entender essa natureza, que já vem com esse “pacote”, tão cruel muitas vezes para que entendamos?
Ele estava me falando acerca de um relacionamento dele que estava péssimo, por conta dos ciúmes da parceira, que parte para vias de agressividade, não só verbais, mas também físicas. Me mostrou marcas no corpo e tudo. Que tentava entender o lado dela e, queria muito sair da história, mas a atração sexual que sentiam ainda era muito forte, o que os fazia sempre retornar à cama. Depois, ao acabar o ato, lá estava ela de novo, cobrando dele os passos dados, e o stress retornava.
O humano, seja homem ou mulher. É. Tá tudo errado. Somos capazes de agredir o ser “amado”, sentir ciumes, amar, desamar, simplesmente porque a nossa natureza é assim..então, está tudo errado, porque fomos criados e/ou adestrados para achar que isso é anormal, inaceitável.
Não há para onde fugir! A natureza humana é assim.
A gente já nasce sentindo ciumes... e outros sentimentos que levam ao ciume estão arraigados na gente, a gente já nasce com esse sentimento horrendo dentro do cérebro, coração, sei lá aonde ele se aloja. Já bati no peito e disse uma vez que poderia viver, por exemplo, uma “relação aberta” com alguem. No primeiro momento que vi esse alguém com outro alguém, parecia que o mundo havia caído sobre a minha cabeça.
Mentira. Nós não conseguimos suportar a dor (ou isso) de ver o ser que amamos ou achamos que amamos, ou que simplesmente nos está dedicando um momento de propriedade do “nós”, com outra pessoa.
Eu comecei a me trabalhar nisso e resolvi uma coisa: fugir dele.
É, fugir. Porque o orgulho que tenho e a auto-estima vem sempre primeiro, como um gigante Golias. Resolvi deixar a briga nesta natureza, deixar que estes dois sentimentos briguem por mim. O ciúme e meu orgulho brigaram muito até eu tomar a decisão e nunca mais permitir que o ciume vença.
Mas, deixei de senti-lo?..Não, de forma alguma, impossível, é da nossa natureza, não há como expurga-lo!
E se torna doentio, se não tomamos a decisão de prendê-lo dentro da jaula que a ele cabe, já que é um dos monstros que vem dentro desse “pacote”.
Não prenda QUEM você não é capaz de soltar, já que você nem ninguém pode viver preso a vida toda. O mundo está aí, nos trazendo todos os dias novidades, delícias, dores, você, eu estamos dispostos a ter alguém ao lado, uma pessoa, que dedique atenção, dedicação, carinho, afeto, sexo, só uma mesmo??..tem certeza disso?
Admiro quem é capaz de encarar essa natureza de frente e matar até, dentro de si, essa prórpia natureza, se anulando muitas vezes, em detrimento de outrem. Eu não consigo fugir dessa natureza, não consigo.
Da mesma sorte, se estou amando alguém intensamente, nem adianta vir prá cá me dizer que devo trair esse alguém, que sou bicho, cachorro, que sou "livre" para estar com outra pessoa, se, minha natureza de amante, carinhosa, deicada, mulher, naquele momento, está voltada pra só aquele ser ali.
Eu acho delicioso obervar esta natureza, não só os ciúmes, mas em toda a sua profundidade. E não é fácil, porque a MINHA natureza, por vezes intolerante, transforma alguns seres observados em verdadeiros lixos em forma humana. Outros, se tornam como formas ímpares.
Empíricamente, já desisti de observar (risos), mas, numa observação minuciosa, de fora, é realmente lindo.
Nietzsche já falava sobre o conflito entre a NATUREZA humana e a CONDIÇÃO humana. Já que a maioria das vezes fazemos e somos o que nossa natureza não quer e nao aceita. Os valores e padrões sociais nos incitam a isso.
Preciso observar mais...embora meu olhar seja forte e Super-Homem perde com seu Raio X, só estou começando.

Um comentário:

sergio m. disse...

Vc está a cada dia melhor, minha cara... prazer em ler esse blog!!