Siga-me.

10 de setembro de 2006

Loucura.


(Minha mãe cantava muito esta:)

Loucura
Lupicínio Rodrigues

Aí,
Eu comecei a cometer loucuras,
Era um verdadeiro inferno, uma tortura,
O que eu sofria com aquele amor..
Milhões de diabinhos martelando,
O meu pobre coração que agonizando,
Já não podia mais de tanta dor..

E aí eu comecei a cantar verso triste,
O mesmo verso que até hoje existe,
Na boca triste de algum sofredor.

Como é que existe alguém,
Que ainda tem coragem de dizer:
Que os meus versos não contém mensagem
São palavras frias, sem nenhum valor?

Oh Deus!
Será que o Senhor não esta vendo isto?
Então porque o Senhor mandou Cristo,
Aqui na terra semear amor?
Quando se tem alguém que ama de verdade,
Serve de riso pra humanidade,
É um covarde, um fraco, um sonhador?

Se é que hoje tudo está tão diferente,
Porque não deixa eu mostrar a esta gente,
Que ainda existe o verdadeiro amor?
Faça ela voltar de novo pro meu lado,
Eu me sujeito a ser sacrificado,
Salve o seu mundo com a minha dor.

Nenhum comentário: