Siga-me.

19 de setembro de 2006

Moço, não me dá um real não!

Tem um moço, meia idade, doidinho que fica sentado sempre numa calçada, no meu caminho entre a minha casa e o trabalho, que sempre que eu passo ele grita: "Moça, me dá um real!"..Hoje fui passando e ele falou: "Abre essa bolsa aí e me dá o real moça, que eu sei que voce tem"..
Porque todos os dias que passo, balanço negativamente a cabeça, que não tenho não, embora tenha sim, muitas vezes. Eu acho engraçado demais, porque, ao invés da sanidade, ele vai enchendo a mente de "uns reais". O desejo dele é sempre que lhe passem um real, sabe-se la pra que.
Um dia eu ainda vou ter mais bens materiais que tenho hoje. Acho que só prá mostrar pra A mais B que isso prá mim não é nada. A sábia Bíblia já diz: "que adianta ganhar o mundo todo e perder a sua alma?". Prefiro sim, alimentar a minha alma de cada dia mais . Meu espírito de cada dia mais amor e coisas positivas, minha mente de inteligência, buscar conforto em tudo que não ultrapasse a barreira da falta de paz.Carro, bens, roupas caras, etc. Troco tudo por um beijo, um cafuné, por amigos e pessoas (familia tambem), que me amem de verdade e sejam sinceros sempre comigo, por a sensação de torpor de entender o que é o amor de verdade.

Me dá um real moço?
Não..me dá um beijo?

3 comentários:

andregalo disse...

Tai amei o texto ducar!*#@"
Isso e a mais pura verdade.

Sua Amiga Cindy disse...

LINDO!!! ;)

Nill Costa disse...

Amei...cm tudo q vc escreve!!!