Siga-me.

20 de outubro de 2006

Trabalho.

Para Marx, o homem é o primeiro ser que conquistou certa liberdade de movimentos em face da natureza. Através dos instintos e das forças naturais em geral, a natureza dita aos animais o comportamento que eles devem ter para sobreviver. O homem entretanto, graças ao seu trabalho, conseguiu dominar em parte, as forças da natureza, colocando-as a seu serviço.

"Como criador de valores de uso, como trabalho útil, é o trabalho, por isso, uma condição de existência do homem, independente de todas as formas de sociedade, eterna necessidade natural de mediação do metabolismo entre homem e natureza e, portanto, da vida humana." (Karl Marx)

Diferente de Marx, sempre tive uma péssima imagem da palavra TRABALHO. Saliento que não é com o TRABALHO em si, porque até gosto de trabalhar, mas...é com o uso verbal da palavra: TRABALHO.
Eu nao a usava antes de forma alguma. E me pego as vezes ainda com dificuldade em usá-la.
Assim que terminei o segundo grau, comecei a trabalhar, mas, não sei se é por conta do meu temperamento, de levar as coisas, na maioria das vezes, na esportiva demais, eu nunca chamava o serviço (como chamam os paulistas), de trabalho.
Depois, casei e, mesmo em uns períodos de dona-de-casa, criando filho, onde fazia coisas prá ajudar mesmo no orçamento da casa, tipo, vender confecções, bijouterias, ouro, prata, fazer convites e lembrancinhas em papel vegetal ou em outro material (o que me dispensava um tempo enooorme, embora fosse em casa mesmo), eu não encarava de frente essa palavra.
Até hoje não consigo entender porquê.
Se eu ia fazer alguma coisa desse tipo, sempre me referia ao ato lá, que ia fazer, com a descrição normal mesmo, tipo: "Não posso agora porque estou fazendo lembrancinhas"...etc..nunca dizia: "não posso porque estou trabalhando".
Acho que sou louca mesmo, sei lá. Talvez um terapeuta tenha alguma explicação pra isso.
Fui pra universidade e trabalhava. Tinha uma empresa junto com meu ex marido e trabalhava muito nela, além de em casa, mas, nunca dizia a tal palavra.
Me formei, fiz cursos, ensinei (o que é um trabalho prá mim dos piores, coisa de vocação mesmo transcedental)... hoje tenho de novo minha empresa, mas, sempre esbarro na danada da palavra. Se saio de casa para a empresa, sempre digo: "Estou indo para a Via X"...e nunca: "Estou indo pro trabalho"..Estive analisando esse meu HOJE.... e, pelo que faço hoje, até isso consigo ver de forma bem engraçada..hoje faço as coisas nessa minha empresa com tanto prazer, que prá mim se torna um complemento, uma extensão dos outros prazeres que tenho..Aí piorou mais ainda a situação. Vejo minhas amigas, amigos, todo mundo enfim que me rodeia, sempre falando: "Não posso beber mais, porque amanhã tenho que trabalhar"...e eu não consigo dizer isso!
Digo.."poxa, amanhã tenho que ir prá Via X", de novo.
Alguém pode me dizer qual poderá ter sido meu trauma?
Ou será que tudo prá mim é uma extensão de outra coisa?

Um comentário:

Sua Amiga Cindy disse...

Interessante...
Eu jah olho a palavra "trabalho" como mais uma coisa q me realiza e me da prazer...
Adoro o que faco e agradeco aa Deus todo dia por meu "TRABALHO"!!! :)
Bjx