Siga-me.

30 de novembro de 2006

Continhas e vida minha - Na cor...

Eu adoro fazer colarzinhos de continhas.
Posso passar hoooooooras ali, enfiando continhas de todas as cores num cordão, pra depois se tornar um colarzinho, ou uma pulseira. Já fui até confundida com praticante de alguma religião africana, como umbanda, cadomblé, já que eles usam muito, para reverenciar cada Orixá com uma cor. Respeito muito, acho lindo, mas, não sou praticante de nenhuma delas. Apenas gosto, tanto de fazer, como de usar. Bordá-las em algum lugar também. Pelo colorido, pela singeleza, pela simplicidade, não sei. Gosto, e pronto. Tenho uma amiga que me chama de 'véinha', quando me vê assim, sentada, sozinha (geralmente), bordando ou fazendo esses colarzinhos. Ela fica boba de como eu alterno entre a grandiosidade e toda a vontade de abraçar o mundo, com a tranquilidade de ficar bordando, entre continhas e miçangas..Minha cabeça anda meio desparafusada esses dias, com problemas de trabalho, incertezas outras, e, me deu uma doidice essa semana passada e misturei todas as minhas continhas numa vasilha só. Fiquei um tempão olhando aquilo, rindo, pensando em como eu vou fazer se quiser fazer agora um colarzinho que seja só com continhas azuis, por exemplo. Vou ter que ter a bendita paciência pra sempre pegar as continhas azuis apenas. ..mas, nesse ato de misturar minhas continhas, fiquei pensando em como minha vida hoje também é assim. Eu faço colares de uma cor só, mas faço de várias, misturadinhas também. Assim, também, como na vida, há coisas que são de uma cor só. Chegam, ficam, ali, sempre de uma cor só. Tem a sua beleza, seu trato, seu toque, mas, de uma cor só. Outras, não, chegam, e hoje são de uma cor, amanhã de outra cor, amanhã de outra cor, depois de amanhã, voltam a ter aquela cor primeira, depois...Assim como eu, que passo tempos "de uma cor só", outras, numa vida colorida danada..

.......................................
ORAÇÃO: Meus colares de continhas...me façam sempre ver onde estão as próximas cores que virão prá mim, ou, me façam enxergar, mesmo que o que virá seja de uma cor só, a beleza nestas. Me façam enxergar a cor da dor. A cor da flor. A cor de quem com um sorriso me prende na cama e depois quer ir embora, ou eu quero que se vá...me diz qual cor eu devo escolher em cada dia. Me faz acreditar na cor da surpresa. Me faz enxergar também que, mesmo eu tendo muita gente ao redor as vezes, pessoas cheias de cores, é só com uma cor que quero ficar. Não deixem, colarzinhos, que minha vontade hoje de ser leal, apague a cor de se viver um grande amor.
.......................................
Acordei bem hoje...com saudade...mas bem. A cor da saudade está em meus olhos e em meu corpo somente. E acho que em outros olhos e em outro corpo também, igualmente. Mas tem que ficar uma cor lá, outra cá mesmo. Sabe-se lá porque eu quis assim, depois porque o outro corpo também, se o que os dois desejam tanto é que a cor do perfume do início ainda inebrie, o hoje, os orgasmos tão coloridos. Burrice, prevenção, sabe-se lá o que é...

.......................................

Acabei de crer: as coisas inesperadas são sempre as melhores, porque tem uma cor viva.

3 comentários:

sua amiga cindy disse...

Seu texto me lembrou a mais linda de suas ARTES!!!!
MEU presente LINDO!!!! :)
Brigaaaaaaaaaaaaaada!!!!

Nill Costa disse...

Nooooooooooossa! De arrombar d+!!!!
Sou fã de carteirinha sua...
Rapaz ... que simplicidade e ao mesmo tempo tanta nobreza...
Que sensibilidade.. que percepção do delicado.. Pôxa.. chega né.. senão os outros vão pensar que estou levando o "velho" cachê. hehehhh
Mas, ainda quero ver suas peças. E acho que já te disse que também as faço.. e só pra lembrar(sem nenhum interesse, é claro!!!)
Meu niver dia 12-12; hehehhhh
sei lá.... um colarzinho feito só pra mim.. em minha homenagem.. de repente...
Bricadeirinha viu!!!!
Mas; A D O R E I seu texto.
De arrombar mesmo!!!!
Aliás como tudo que tu escreve.
bjaox cheeeios de saudades...

Anônimo disse...

Como sempre é maravilhoso entrar no seu blog pois sempre me deparo com bons textos além das aulas de cultura. Vc vai longe. Bjos, Akemi.