Siga-me.

3 de novembro de 2006

Divagações no feliz...na paz..

...Prazer entre saquês, sushis, sashimis, combinados, luzes de velas, fotos, amigos, risos, glamour, Gal Costa, Morro da Paciência, Rio Vermelho, Salvador.
E mais...mais..
Porque viver nem é mais preciso depois disso.
Preciso é criar..(parafraseando Pessoa).
A felicidade precisa ser mais o que?
Nada.
.........................
O melhor da vida é poder se declarar soberana, autônoma e completamente independente emocionalmente de qualquer pessoa.
Eu sou feliz por isso.
Se tenho medo, arrepio, é, ora por orgasmos, ora por medo de amar.
Odeio o amor. É. É. Porque essas coisas que ele traz me apavora e eu nao gosto de sentir.
Amor prá mim tem que ser leve, limpo, solto, perene, indolor. Se ele não existe assim, esse que vejo por aí, em tantos seres que ora riem hoje aos beijos, amanhã choram por o outro não beijá-lo mais, eu não quero. Quero hoje ser, estar, plena, mas amanhã...amanhã não me peça contentamento ou dor por ter ou não ter, porque não quero. E esses que são o que não são prá terem o outro, para mostrarem que são alguma coisa. Não, muito menos.
A dor inventou o amor. Mas o amor não inventou a dor. Ah, se todo mundo entendesse isso.
Ficar, ser feliz só quando se tem alguém?
Não. Disso já me limpei, me abstraí, me livrei.
É!!..
Haja amor, haja amor..mas venham os beijos apenas e a enorme montanha de carinho que todos nós nos devemos sempre.
Na paz..

Nenhum comentário: