Siga-me.

22 de dezembro de 2006

Redoma Exuperyana ou afim.

As pessoas acham que precisam estar ligadas cerebralmente (palavra minha), visceralmente, amalgamadamente, para viverem histórias legais. Não estou falando em relações superficiais...afinal, eu não pretendo transformar a minha vida em algo pobre. Falo e chamo de pobre a coisa toda de limitar os sentimentos, entrar numa redoma emocional, como se as relações tivessem padrões e receitas. Sou egoista demais, quando vejo que o prazer, já que já disse aqui mil vezes que sou mesmo meio Hedonista, bate à minha porta. Não que eu não tenha sentimentos, ao contrário. Eu fico derretida em carinhos por quem vem com um cesto de prazer prá me dar...hehehe..e, por conta do meu egoísmo, fico tentando conservar o prazer que talvez uma relação tenha me trazido. Algumas pessoas não entendem isso. Compreendo até, por conta de ainda não terem vivido o que já vivi e me permiti viver, no que se refere a relações, sejam de amizade ou amorosas. Não sou a detentora da sabedoria, logo eu, não, mas, fico observando o depois de quem não sabe lidar com isso, principalmente com relação a mim. O arrependimento, nem que seja num depois bem longe, de não ter se permitido expandir os horizontes de uma relação, bate, mais dia menos dia. "Oh, Helena, como eu fui tonto"...É leveza...É liberdade (isso sim é liberdade), voce viver levitando em cima do que a vida vem lhe oferecendo, curtindo e sendo obediente a ela.

Um comentário:

sua amiga cindy disse...

Adoro ler seus pensamentos...
Nunca pare de verbalizar!!!!
Bjx