Siga-me.

14 de janeiro de 2007

Curtas.

Gostaria de ser menos radical. Mas não sou. Não se trata de rótulos de comportamento, tipo, se alguém te bate na cara, oferecer a outra, ou, ao contrário, pagar na mesma moeda. Faço o que meu coração manda e, muitas vezes, são as duas coisas. Ofereço a outra, e pago na mesma moeda, ou não faço nada, só destilo indiferença. Infelizmente sou assim. Gostaria muito de ser diferente, de ser comportamentalmente linear. Se alguém pisa na bola comigo, não sei as vezes relevar, prefiro não me colocar em situações onde aquilo se repita. Nada de cortar relações demais, ou deixar de ser educada, não falar mais, essas bobagens, (isso faço com quem não gosto, com quem meu santo não bate mesmo)...Não se trata de não perdoar, até porque, quem sou eu prá deixar de perdoar alguém, mas, é que acho que dá trabalho demais ficar perdoando todos os dias, a quem todos os dias tem sempre alguma coisa pra pedir desculpas. Devo ser realmente exigente demais.
.........................
Meu coração dá uma travada monstra se, por exemplo, marco com alguém, e esse alguém não aparece e sequer dá uma satisfação. Eu sinto uma vontade enorme de nunca mais nem ouvir falar o nome da criatura, mas, lógico que a pessoa vai me procurar, ou aparece logo uma chance pra pedir desculpas, ou, prá tentar explicar, o porque não pôde, mesmo com a tecnologia avançadíssima, com as pessoas rodeadas de celulares, sites para envio de torpedos, etc, sequer dar um aviso de atraso ou que não poderá cumprir o combinado. É um caminho longo de volta até reconquistar minha confiança em remarcar alguma coisa. Mas tem gente que releva, que entende, que deixa prá lá. Eu não consigo, até a criatura mostrar por A mais B que nunca mais repetirá o ato. Preciso mudar isso, mas, creio que, (sem querer dizer que sou velha, porque não sou) , "papagaio véio não aprende a falar".
.........................
Vixe..falando em relacionamentos amorosos. Nossa! Como é ruim você olhar prá trás, fazer um retrocesso mental, ou encontrar pessoas que você já foi arreada..olhar, falar...e não sentir mais uma gota de nada, e até quando a criatura abre a boca, constatar que o ser só fala merda (mesmo as vezes com carinhas tão bonitinhas). Acontece ao contrário também, de você ver, e ainda rolar o ziriguidum, mas, essa semana aconteceu comigo o outro caso. Vixe que arrependimento!...hehehehe..

Um comentário:

sua amiga cindy disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Segue sua cabeca!!!... Acha q tah errada, mude mesmo!!! "You are never too old to change" hehehe