Siga-me.

28 de janeiro de 2007

Tudo seco na alma.


Pés no chão, alma pura. Pura até de água. Nada tem pra brincar, a não ser que faça de qualquer coisa que exista e da infantil imaginação, retire algo lúdico. Da terra seca, do galho que sobrou. O costume de passar fome o faz forte e o sono é até pesado que nem sente mais calor. Não, não reclama em tomar sol. Banho, só da água pouca, quando há. Não sente-se preterido porque tem mais de cinco irmãos. Não há clientela pra psicólogos. A vida sertaneja infantil é uma escola para a alma. É uma escola para a valorização de um punhado a mais de farinha ou alguns grãos de feijão ou outro alimento qualquer a mais. Ninguém vê, ninguém sabe, ninguém lembra.

2 comentários:

sua amiga cindy disse...

Deep hem amiga???

Nill Costa disse...

.....Profundo.....Desolador...