Siga-me.

20 de agosto de 2007

Vacina, vacina!!...de novo??

Fico triste quando vejo pessoas que amo sofrendo por coisas que não admito mais sofrer. Sim, eu não admito mais, por exemplo, e sendo repetitiva, sofrer por coisas aí que chamam de amor, por ninguém. Não admito. Parece que tomei uma vacina, fui imunizada de uma forma impressionante. Fico revoltada, agonizando por dentro, quando percebo que, além dessas pessoas estarem sofrendo, gostam de estar sofrendo, como se o processo de cura não dependesse única e exclusivamente, deles. Nada que me faça esquecer minhas convicções, mas, me dá uma agonia monstra, uma vontade de abrir a cabeça destes e enfiar uma coisa: É PRECISO, ANTES DE AMAR ALGUÉM, SE AMAR, E MUITO, DE TAL MANEIRA, DE TAL FORMA, TÃO GRANDIOSAMENTE, QUE QUANDO FOR AMAR A OUTRO, O AMOR QUE TEM POR SI MESMO, JAMAIS VAI DEIXAR QUE O OUTRO PREENCHA TODOS OS ESPAÇOS E A PERDA DESTES JAMAIS TRARÁ TANTO DESCONFORTO. Egoísmo? Orgulho? Soberba? Não. Amor próprio mesmo. Não dá. Já passei por situações desagradabilíssimas, auto-destrutivas até, por estar me acabando, sofrendo por pessoas, que do outro lado, não estavam nem aí, ou se estavam, e eu estava sofrendo porque o outro estava sofrendo...daqui a pouco a coisa se invertia. Que droga! Que imbecilidade! Que coisa estranha! O processo de cura foi só meu. A iniciativa de me curar tinha que ser minha, os remédios, as estratégias, tinham que ser minhas. Mas não, me deparo com amigos que ficam sofrendo, como se só existisse uma pessoa no mundo. E são pessoas lindas, fantásticas. Permitem que o outro mine sua auto-estima de um jeito que conseguem até se odiarem a si próprios. Que bom que encarnei mesmo a história e a velha frase de alguém, talvez duma reencarnação dessa aí qualquer, que enrustiu em minha cabecinha a frase: "O MUNDO É ENORME, EXISTEM MILHÕES DE PESSOAS POR AÍ, DE TODOS OS SEXOS, CREDOS, ETC, PRONTAS PARA SE ENCONTRAREM, SE BATEREM, VIVEREM HISTÓRIAS..." . isso aí, se encontrarem, se desencontrarem também. Poxa! "Helena, como você é insensível"..Insensivel coisa nenhuma! Amo até a ultima gota, mas desamo da mesma forma. Ou continuo amando de outras formas, mas me maltratar, não! Se sair com amigos não cura logo, mesmo assim eu saio. Se fumar, beber, orar, não adianta, pelo menos ajuda e ameniza. Se conversar com amigos não cura de vez, ao menos ajuda!..Daqui a pouco, um dia depois, qualquer sombra de 'sofrimento' já se dissipa. O PROCESSO de cura tem que começar! E o outro, sofrendo? Eu sofrendo porque o outro ta sofrendo? Nossa...que insanidade a minha, já que o outro tem que aprender e apreender a vida também, assim como eu. Estou sendo repetitiva nos meus textos, porque, nunca vi tantos amigos ao meu redor sofrendo 'por amor', vivendo histórias loucas, que fico me achando uma E.T.. Putz! Nem sei mais o que faço, na boa. Admiro algumas que encontro, que ja viveram como eu tantas historias e ficam calejadas, dizer: "Soldado morto, farda n'outro, amiga"..e já com um sorrisão na cara. Ah..eu queria poder realmente abrir a cabeça de um monte de gente e enfiar coisas assim, pro bem, só pro bem delas. Só pro bem mesmo, já que sinceramente, vivo muito mais feliz depois que tomei a tal vacina.

2 comentários:

sergio m. disse...

Como dizia um folósofo amigo meu: a gente não ama o outro, mas sim, o estado de amar o outro...

sua amiga cindy disse...

"Soldado morto, farda n'outro, amiga" KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK