Siga-me.

3 de setembro de 2007

Carta de uma apaixonada.

"Tá, amor...Você me detonou, me acabou, me relaxou. Entrego os pontos. Me faz rir, me chama de namorada, diz que me ama, diz que vai e que volta, diz também com a maior naturalidade que vamos demorar de nos encontrar, mas que vai morrer de saudade e é melhor, porque a saudade aumenta e não corremos o risco de enjoar. Achei que não ia mais me bater com alguém assim, que me prenderia tanto tempo, em casa, na cama, em seus braços, em seus pensamentos, em meus pensamentos. Quando eu olho não acredito no que estou vendo. Talvez porque seus olhos são cor de mel, são puxadinhos. Talvez porque você é um moreno lindo, tem os cabelos de uma cor e textura que não precisam pentear, porque você deixa sem pentear mesmo e eu gosto de enrolar meus dedos neles. Seu nariz afilado é perfeito, tem uma perfeita métrica. Sua boca é carnuda, nem vou entrar em mais detalhes, porque saio do meu prumo e tenho que descrever outros detalhes que prefiro não dizer aqui agora, e sim sempre no seu ouvido. Braços grossos, ante-braços desastrosos quando me enlaçam. Mãos enormes, com calos, de macho, que trabalha muito. Peitoril perfeito, moreno, com água debaixo das nossas cachoeiras imaginárias, ou seja, chuveiros, fica lindo. Seu perfil dormindo parece um Deus Grego. Costas, bunda, coxas, pés. No campo das oportunidades, valeria dizer que para você não houve nenhuma. Oportunidades de ser alguém culto, mas a inteligência que o faz discorrer sobre todo e qualquer assunto, na limitação que a vida lhe impôs, eu digo, é perfeita. Que mesmo com nossas diferenças, aprendemos um com o outro já, só em saber-nos vivos e leves. Me faria por aqui laudas e laudas e mesmo que nossas vidas se separem, o que claro pode acontecer, porque já tenho a doce consciencia de que nada é pra sempre, já valeu a pena conhecer alguém tão especial e a amizade vai ser pra sempre. Na mais pura observação, eu diria que sua leveza me deixa envergonhada, por ja ter perdido meu tempo com tantos caras problemáticos, cheios de nóias e sem tanto tesão..pela vida principalmente. É. Estou apaixonada mesmo e sei que nada é em vão. Ouvir você dizer que está tambem e quer que seja "prá sempre" me deixa mais encantada ainda, por tamanha singeleza e ingênua precipitação, tantas vezes por mim esquecida e rejeitada. No mais, é bom estar feliz, por estar vivendo tudo de novo e com os pés bem no chão...se bem que pés no chao não é muito a nossa quando estamos juntos..hehehe...Coisa linda. Morro de saudade do mesmo tamanho da sua, ou maior, porque voce deixou um vazio enorme na minha casa, por ter recheado cada cantinho com sua alegria, seu sorriso, nossas loucuras e nossa paixão, que nem me preocupo se tem futuro ou não. Chega de tanta preocupação com tudo isso. Quero viver cada dia, com sentimentos bons, sem pensar no que vai ser ou não. A casa é sua, e os planos de voltas já a fazem sua mais ainda. Serzinho livre, cheio de inocência, leve, cheio de liberdade, de pensamentos bons e ingenuidade até. Você é umas das coisas mais lindas que já vi na minha vida. E olhe que já vi muita coisa. Como diria você: "Eita que coisa bonita da peste!"..."

Um comentário:

Tatá. disse...

Ainnn
Vive esse momento intensamente. Ou, porquê não: VIVAM?

bj, flor