Siga-me.

29 de fevereiro de 2008

Chuva..

Ontem a noite caiu uma chuva torrencial aqui em Salvador. Tempestade mesmo. Me delicio com chuva, ainda mais assim forte e densa. Me reporto à minha infância, em que passava as férias na fazenda do meu avô. Uma fazenda que ele tinha na região de Itarantim, que se chamava Alto Bonito, porque ficava mesmo em um alto muito bonito. E, por ser assim alto, quando caiam as tempestades, o vento uivava, abriam as portas e janelas e minha mãe, para acalmar todo mundo, já que era comum um medinho se instaurar quando a tempestade caía, ficava sempre cantarolando hinos. Os raios eram muito fortes, e poucas vezes não acamheciam varios bichos mortos, porque iam se abrigar debgaixo das árvores e acabavam morrendo. O casarão imenso era de telhas e havia apenas um cantinho de laje. Todo mundo corria pra debaixo dessa laje e minha mãe ficava cantarolando então, hinos. Antes, tinha que encostar à porta, daquelas portas reforçadas, os moveis e cadeiras para que o vento não abrisse. Fora os medos dos raios por estarmos em um alto, em plena fazenda. Ai invés de se estabelecer em mim algum trauma ou medo, eu fico é maravilhada. A natureza em sua mais pura manifestação. A cidade está totalmente destruída, já que não há infra-estrutura sanitária nem de nada para sustentar tamanha inundação causada, mas. É belo, sim,é bela a chuva.

Nenhum comentário: