Siga-me.

12 de maio de 2008

Me ama???

Futucando Orkuts, o que mais vejo é a esmagadora maioria de 'amigos', dizendo um pro outro que ama. Engraçado isso. Mais comum entre adolescentes. É um tal de 'Miguxa, te amo', 'Migaaaaa, te adooorooo', 'Amigo, te amo mais que tudo'. Quanta superficialidade...será que ama mesmo? Fico me perguntando se o amor que une dois amigos, amigas, não tem que ser um amor provado principalmente pelo TEMPO, sim, pelo tempo, que tudo prova. Ainda mais quando se trata de algo tão sagrado como o amor que une duas pessoas. Banaliza-se também o amor, nada mais seria esperado, já que as relações se tornaram também banais, superficiais, improváveis sempre. Aprendi a não dizer que amo alguém, sem antes passar pelo crivo do amigo TEMPO. Mas isso sou eu. Já presenciei 'amigos' desses que ali escrevem tanto que amam, amam e amam, quando na falta da pessoa, ou ao menor deslize, tecerem comentários sórdidos acerca do tal objeto 'amado'. Rude, não? Simpatia, apreço, admiração, são sentimentos bem diferentes de AMOR, nem por isso são menores. Por que não dizer a alguém simplesmente que admira, respeita, , enquanto não se tem ainda certeza de que o amor permanecerá intocável ou aumentará, ou quem sabe, até vai se dissipar..? Fazem parte estes sentimentos, mas, se não forem provados pelo tempo, permanecerão isolados, cada um no seu canto, sem nunca formar o todo: AMOR. Qual mãe já não disse: "Ama é? vai comer sal junto!". Nada mais verdadeiro. Amo. Amo a tantos amigos, mas não me atrevo a dizer isso a não ser depois de ser provado pelo fogo do tempo, que a tudo prova. As vezes a gente se engana tanto com as pessoas, com os atos e as reações. Até com o caráter de alguém que a gente se precipita, diz que ama, e depois, olha lá a pessoa nos decepcionando até a última gota. Quando se ama com certezas, já são sabidas as possibilidades de decepções, e se perdoa. Quando não, adeus, já foi aquele amor todo. Fico sim ressabiada. As pessoas tem que voltar ao AMOR consciente. Tempos de Orkut, tempos de AMORQUALQUER.

Nenhum comentário: