Siga-me.

4 de outubro de 2008

...


Não, não se envolva demais com uma pessoa a ponto de saber quais são suas maiores fantasias. Não, não procure saber onde o outro sempre vai e principalmente aonde gosta de ir, ou prefere ir. Não se meta demais na vida do seu marido ou da sua mulher, do seu amigo, do seu filho. Não se enturme demais com seus amigos em comum, não obstante os amigos em comum sejam também seus amigos, óbvio, mas não permita que tudo que vocês falem seja em comum. Não permita que o outro invada demais sua vida a ponto de saber quais seus maiores medos, sentimentos mais profundos que são só seus. Nunca os conte sobre suas prevaricações, seus aprontes, suas peripécias de adolescente, ou mesmo as mais atuais. Não ame demais. Recuse-se a ouvi-lo (ao outro) muito nas horas em que ele quer desabafar, indique prá ele um amigo de confiança, capaz de escuta-lo por horas a fio, com certeza você jamais vai ter material para depois achá-lo melancólico e que usou você para vomitar suas desilusões. Não permita que ele ou ela lhe veja em seus momentos mais íntimos, todos temos direito à privacidade. É naquele momento íntimo que cada um é o que é e Deus deve ser o único a VER o que você faz ou deixa de fazer.Ele vai e pode 'julgar', dentro do crivo de uma sã consciência. Ame de forma que mantenha uma certa distância sempre. Não fale muito, ouça antes de falar, e ouça muito, deixando que o outro fale até esgotar a ultima sentença, depois diga apenas , com sabedoria, que a entende. Jamais o que voce disse será jogado contra você, ou deturpado, já que você não disse muita coisa. Conquiste a confiança do outro com lealdade, não com falsidade. Se não gosta, não goste, se permita bloquear mentalmente as pessoas de quem você não tem apreço ou que lhe foram desleais. Melhor do que odiar, é esquecer. No esquecimento não há sentimentos ruins. A indiferença é fatal, mas o ódio é pior ainda, adoece a quem sente. Levante sempre a cabeça quando lhe injuriarem, e, com humildade, revele-se nobre, porque nobreza não vem de fora pra dentro, mas de dentro pra fora. Não se é nobre por usar roupas caras, morar em bairros portentosos, etc. Se enxerga alguem nobre de longe e não adianta querer se camuflar de nobre. Só vai ser, no mínimo, ridículo. Recomenda-se não questionar muito as coisas óbvias do outro, nem mesmo as que prá você não são. Fique atento sempre ao olhar do outro. Olhe bem fundo sempre em seus olhos. Perscrute sua intenção, aperte sua mão com força, sinta as vibrações do outro e veja se ha sinceridade ou não, independente de quem seja. Mas, mantenha distância, nada será um dia jogado CONTRA você.

Nenhum comentário: