Siga-me.

20 de novembro de 2008

...

Acho que nunca estive numa fase tão existencialista como estou agora. Administrar as coisas à medida que elas vão acontecendo é a coisa mais maravilhosa do mundo. Controlar minha ansiedade, dar cada passo no compasso certo, na batida que meu coração mandar, sempre aliado a uma racionalização, evitando sofrimentos vãos . Já quis tanto atropelar etapas, passar por cima de fases necessárias, meter os pés pelas mãos, acelerar coisas, ignorar minha intuição, que as vezes me desconheço atualmente. Às favas os outros, atravancadores da minha existência, quando pensavam que eram alavancas propulsoras de vida. Não, eu não sou mais a pessoa orgulhosa que era, mas também não quero mais falar coisas que não gosto, pensar muito menos, nem tampouco viver correndo, insensatamente, parecendo estar correndo mesmo atrás da morte, que a todos espera. O controle da minha fala, dos meus gestos, dos meus quereres, são meus agora, totalmente meus. Estou em paz, isso é o que interessa, o resto Deus sabe, só Deus sabe.

2 comentários:

Roberto Kuelho disse...

È muito importante isso. Vc parece ficar em paz com as coisas ao redor. Às vezes to me sentindo assim também, me poupando de fazer o q não me excita, o que não me instiga, mas sobretudo, optanto pelo que me deixa ser eu!

Anônimo disse...

Muito bom viver isso! Ser sempre real com vc mesma e quem quizer q nos aceite como somos! :)

BJX
SAC