Siga-me.

1 de outubro de 2009

"Padres" e "Pastores" cantores: qual o limite do ridículo?



"Entre as novas modalidades de mídia, sem dúvida anda em evidência os padres/pastores/bispos cantores brasileiros. Como outros fenômenos tupiniquins, não há explicação do por quê aqui florescer tal formado de midia de massa. Vendo o videozinho acima, me pergunto: há limite para o ridículo? Deus não deveria castigar essa gente?"

Quase morro de rir, o padreco, pastoreco, 'seilaoque' ele é, dança pra caramba!...hehehehe..:))

.........
Achei aqui: http://marcelotas.blog.uol.com.br

2 comentários:

A Vaca disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Eu ri demais!
Concordo com o Marcelo, ser padre/pastor/pai de santo cantor virou pura modinha mesmo.
Fora que há alguns que não cantam super nada né? E vendem que é uma beleeeeza. Que nem Marcelo Rossi, que cantava um uma parte e deixava os fieis cantarem todo o resto.
Mas também não neguemos que há as excessões - acho grande exemplo o Fábio de Melo, que diferentemente de outros além de ter um conteúdo indiscutível, tem uma voz melodiosa e um talento pra escrita que eu particulamente, amo :D

Ri muito com o "show" - parece que não há mesmo limites para o ridículo.

Beijão;*

Cria disse...

O 'Zé povinho' entra no baile direitinho ... e aplaude, aplaude ... Muito bom, parabéns ! Beijokas.