Siga-me.

9 de fevereiro de 2010

Ensaio de uns doze sobre a Lucidez-Loucura.


Acho mesmo que, ou eu e mais uma dúzia de pessoas estamos surtando, ficando velhos ou esquizofrênicos, ou só essa uma duzia de pessoas é que está mesmo lúcida. Na verdade não tenho nenhuma dúvida que a segunda alternativa é a assertiva, como estavamos conversando eu e uma amiga essa semana, eu contando a ela do meu stress e indignação por um acontecido que narrarei a seguir. Lembro-me então que tenho até um 'amigo de infância' que nos dá sempre o prazer de por essas questões pitorescas, já 'normais' em seu blog. Ele faz parte dessa uma dúzia, aliás, é talvez o Mestre Yoda da turma (risos). Meu filho 'perdeu o ano', ano passado, numa escola particular, nas disciplinas Física e Literatura (logo Literatura). Reprovado, repetente, indignação dos pais, óbvio. O pai, que investiu pencas financeiras desde à tenra infância, claro, lavou as mãos e o veredito foi dado: 'Não há mais investimento, a matrícula será feita numa instituição pública'.. leia-se, do Estado. Concordei. No primeiro momento, arroubos de espancamento (estou falando a verdade, embora isso jamais aconteceria), proibições, caras feias, sermões intermináveis, etc. Depois, vamos à prática. Feita a matrícula num posto qualquer, através de uma conhecida diretora amiga da família do pai, lá vai ele à Escola efetivar a tal matrícula, levando documentos, etc, já que a sentença condenatória (uma delas) foi a de que ele agora resolveria as coisas dele sozinho. Me liga o filho-imberbe-pubescente-adolescente-adulto, dizendo que infelizmente a possibilidade de fazer 'dependência' não será possível, já que ele perdeu em Literatura e Literatura no Estado é junto com Língua Portuguesa e ele tinha sido aprovado em Portugues, na Escola Particular.

Certo. Entenda, a disciplina Literatura na escola particular é só Literatura. Na Escola Estadual é 'junto' com a disciplina Língua Portuguesa. Tive que ir lá. Chegando, uma senhora dos olhos bonitos, azuis da cor do mar já veio com umas 4 pedras na mão, dizendo que 'Seria impossivel a matricula ser efetivada no 3º ano, com a tal Dependencia em Literatura no outro turno'. Retornava sempre a ela com uma voz bem doce e calma, enfatizando que a intenção seria resolver a questão. Então, ele REPETIRIA LINGUA PORTUGUESA, claro, já que tava embutida a Literatura na Lingua Portuguesa, claro... por dentro já imaginando eu dando uma rasteira e um soco desequilibrante na senhora. Não, violência não, que isso?? Daqui a pouco a secretaria toda da escola ja estava dentro da conversa: ou matriculava no 2º ano, repetindo mesmo, ou teria que ligar pra DIREC. Ligação feita para a DIREC-Feira, a DIREC informou que teria que entrar em contato com a SECRETARIA DE EDUCAÇÃO em Salvador. Eu disse com a voz ainda bem calminha: "Ta bom, eu aguardo então ligarem pra SECRETARIA DE EDUCAÇÃO EM SALVADOR'. Dona 'Coisinha', que tem um nome bem diferente, enfim, me liga dias depois, depois de eu todos os dias infernizar a turma toda envolvida, dizendo que, a SEC SSA informou que seria realmente impossível a matricula ser feita. Gente..peraí..eu surtei? Tô louca? Sou uma E. T.?..ou as coisas, as pessoas, o mundo estão realmente de cabeça pra baixo? A flexibilidade ou ao menos 'alguem que resolva' um caso desse tem que ao menos existir! Aí vem o mais engraçado da historia, o pai conseguiu com o dono da Escola Particular que reprovou a criaturinha no 2º ano, por causa de Literatura e Física, após anos e anos de estudo na Instituição (eu não teria reprovado, já que seria o ultimo ano do moço na escola, teria feito de um tudo para recupera-lo, enfim..), que ele fizesse de novo a tal prova de Literatura. Estudei com ele a Clarice Lispector de cabo-a-rabo numa noite e pasmem, foi a mesmíssima prova. Claro, ele arrasou na manhã seguinte e agora está matriculado no 3º ano, na Escola Pública, com dependência apenas em Física.

Duas coisas: O Estado, em sua péssima política educacional, em sua desorganização, especialmente nas estruturas curriculares, debilmente elaborada, desprezadas nas suas bases mais importantes, jamais deveria se abster de permitir qualquer complacência nesse sentido. Não, eu nem vou mais me ater a esse bolo-doido que é a estrutura educacional Estadual porque dariam mil laudas. Segunda coisa: Por que o dito cujo da Escola Particular não permitiu essa 'segunda-chance' ao cara, de refazer as provas antes e manteve o moço na escola? Que jeitinho brazuca mais louco. Se debulhou em lágrimas por perder meu filho da sua escola 'porserummeninoótimo', mas mandou pra mim a mesma prova de Literatura para ser 'repetida', a fim de livra-lo de não ser matriculado lá no Estado. Vai ainda perder dinheiro, gente! Tô louca, gente. Me internem, faz favor.

Numa comparação esdrúxula, fui comer um sanduba no Shopping, entrei na fila do Subway, desisti e resolvi, por nunca mais ter comido, comer um sanduiche de plástico do Mc, já que o atendimento é mais rapido. Ledo engano. A fila estava enorme, mas observei que no outro caixa estava uma mocinha parada, com olhar vago, debruçada sobre o balcão, quase em cima do monitor do caixa. Gritei de lá:

__Moça, esse seu caixa está aberto?

..a criaturinha maqueada gritou de lá:

__Ô meu Deus, ta sim, senhora, pode vir pra ca....

Não aguentei:

__Mas moça, acorda, que isso, por que não me chamou? A fila aqui enorme e voce aí dormindo? Cadê aquela rapidez do Mc Donald's, com aqueles gerentes gritando, batendo palmas e quase chicoteando seus funcionarios semi-analfabetos, hein?? Voce nao pode dormir nem pensar na vida não, moça! Deixa isso pra mim que estudei na UEFS!

Ah, tenha santa paciencia! Se eu e uma duzia estamos loucos, por todos os dias presenciarmos absurdos em atendimentos, assistencia, etc, quer saber? Vamos surtar de vez e quem sabe assim, não se instaura logo um manicômio público e 'Ensaio sobre a Cegueira' passa a ser ao contrario..E viva os surtados, e viva os que reclamam pela cerveja do bar que acaba 23:30, o bar lotado de gente, que mandam ir tomar naquele lugar quando perdem tempo em festivais organizados por guetos-comprados- culturais, que reclamam mesmo quando tem direito a algo e são explicitamente lesados. Uns doze surtados que conheço, por aí
.

Tá bom...Meu filho vai estudar numa escola publica e eu voltei pro Subway..

2 comentários:

MARIPOSIANDO disse...

Na boa, você deveria escrever um livro. Eu seria a primeira na fila da livraria para esperar o lançamento. "Helena e suas histórias" . A_D_O_R_O

DJAMAN BARBOSA disse...

Que a resistência esteja conosco! Já que a força está se esgotando...

Mestre Yoda!