Siga-me.

26 de setembro de 2010

..vida é vaidade.

Ê, vida. Enredada numa teia de vaidades. Tudo que se quer não há conformidade na presença. O que falta não é falta de desejo, mas é a ausencia de satisfação. Quanto mais se tem, mais se quer. Quanto menos se tem, menos se sente querer. Vaidade em ter, vaidade em perder. Humilha-se a si mesmo quem não tem e entende que não pode ter. Vencedor é aquele que mesmo não tendo, sabe que existem outras mil formas de ter e não se deixa abalar pelas perdas, mesmo tendo perdido. Ê vida...A sofreguidão da vaidade, das vaidades, é vã e sombria..vem sofrida, vem malfadada, vem danosa. Vida cheia de vaidades, louca e sorrateira. Vaidade sorrateira. Vida que envaidece. Tudo é vaidade e vai acabar, mas a consciencia da volubilidade maltrata. Melhor não reconhecer a vaidade. Vaidade velada. Melhor. Teia que enreda. Ê vida cheia de vaidades.

Nenhum comentário: