Siga-me.

1 de fevereiro de 2011

Um terço pros cafajestes.

Vou rezar um terço agora sobre os cafajestes. Deve ser bem legal ser cafajeste. Aliás, acho que não deve ser. Deve ser ótimo brincar com os sentimentos das mulheres e de outras pessoas, seja que tipo de relação ele esteja colocando agora como objetivo, já que dá prazer ver o outro sofrendo, não é? Será? É da natureza ruim do ser humano isso. É mesmo? Com certeza, não. Eu me questiono sobre isso. Mesmo. No auge dos meus 42 anos ainda me questiono isso.
É que para mim, ser cafajeste é ser mau carater. Claro. O cafajeste é aquele que mente sem o menor brio, é aquele que sorrateiramente se mete em sua vida, com altas terceiras intenções e quando você se dá conta ele já está deitado em sua cama, nu e roncando. Mas eu acho que as vezes deve ser muito bom ser cafajeste, afinal, em determinado momento o cafa se diverte, faz um bom sexo, suga sua boa energia, come da sua boa comida e se esbalda nos mesmos deleites que você.
Estou aqui me referindo ao cafajeste homem, do sexo masculino mesmo. Aquele que, ao se ver sozinho, arquiteta planos e coisas mirabolantes, além de rir pensando em como você é otária (ou otário) e em como ele é esperto. Imagino o cafa encontrando outro cafa e dizendo: "..que nada, cara, ela é sensacional, mas eu tenho que viver minha vida, sou homem e todas as mulheres estão aí aos meus pés e eu sou o máximo". Ou simplesmente não fazendo o que sua amada solicita, pela sua covardia explícita em encará-la e foge, indo encontrar seu nicho de cafas, em algum outro lugar.
Estou sendo bem simplória, já que geralmente minha forma de escrever não é esta. Eu gostaria de pegar pesado aqui, mas não estou aqui querendo debulhar um terço sujo de merdas que alguns cafajestes me deram de presente. Sim, terços. Graças a Deus, foram poucos, mas sempre esbarro em um destes. Porque são quase uns santos. São quase uns santos que choram sangue na sua frente, mas por tras conseguem entornar alguns litros de cachaça, rindo da sua sorte, ou sem se darem conta do tempo que está passando e a mulher, a otária, a vítima em voga está lá a espera-lo (por exemplo, simploriamente falando tambem).
Mas eu se fosse homem e não tivesse brios, acharia ótimo ser cafajeste. O cafajeste circula impávido socialmente falando. Geralmente é falante, simpático, bem humorado. O cafajeste só é reconhecidamete cafajeste, em se tratando de relações amorosas, quando uma cafajestada sua fica explícita, mas, mesmo assim, há por parte do nicho masculino uma certa aprovação para cafajestadas. O bicho homem precisa ser cafajeste. Precisa dominar a área, ser másculo, comer muitas mulheres,  muita gente, se impor, ora essa. Pra que pensar em sentimentos? Pra que saber o que o outro sente, já que só interessa o que ele acha e suas cafajestadas viram vício? O cafajeste não é apenas aquele que lhe troca por outra mulher, que nada. É aquele que se acha muito mais.
Mesmo que ele seja uma porcaria na cama, e mesmo assim a outra pessoa diga que é, quando na verdade já teve muitos melhores que ele. Mesmo que ele seja ridículo, impotente diante de seu passado e de seu futuro, covarde, tenha medo de tudo, seja fraco emocionalmente, seja inseguro diante de suas conquistas, seja tolo ao fazer suas colocações, seja pobre de espírito. Afora cafajestadas pesadas, golpes financeiros e afins, refiro-me aqui ao simples e ainda aprovado comportamento sexual masculino infiel e desleal (salvo exceções).
É mentira.  Estou sendo uma leviana e meio cafaeste. Eu jamais seria um cafajeste se fosse homem, sabe por que? Porque eu tenho carater. Porque dentro da minha cabeça existem estrelas que piscam toda vez que me sinto ultrajando ou sendo mau carater com alguem. Isso vem de berço e com o tempo, e a cada dia mais percebo que os valores vão se tornando mais firmes. E ainda bem que reconheço os cafajestes, embora permita as vezes que se aproximem, e até ainda seja enganada por algum deles. Os cafajestes são tambem excelentes na arte de reproduzir suas artimanhas e eu, excelente aluna. Enquanto eles estão vindo com o milho, se achando os espertos, eu estou voltando com a canjiquinha. Os terços são rezados e juntos vamos limpando as merdas, até acabar a reza. Aí eu jogo fora, tanto o terço, como o cafajeste, sem dó nem piedade.
E rezo sozinha, um terço limpo, enquanto o cafajeste segue seu caminho rezando na sujeira que fez em outro terço por aí. Sujo, fedorento e sem o menor sentido. Igualzinho a ele.

4 comentários:

Jefhcardoso disse...

Com licença, Helena! Não quero incomodar. Sei que ninguém possui tempo para desperdiçar. Portanto, irei direto ao ponto. Vi que é pedagoga e gostaria de lhe convidar para dar uma olhadinha e comentar algum texto meu. Sua opinião é de grande importância para mim.

“Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso.” (Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com/)

Alvarêz Dewïzqe disse...

algumas mulheres me julgam cafajeste. sou? não sei. mas não engano ninguém, sempre coloco a relação sempre à limpo, sem me aproveitar de nenhuma delas. sem mentiras, entende.

Jefhcardoso disse...

Helena, eu acredito que os cafajestes devem ter prazer em o ser. Eu também não tenho vocação para ser cafajeste. Sim. Também tenho caráter. [sorrio]. Abaixo a cafajestada! Eles não merecem o amor delas.

Obrigado por seu carinho e atenção ao meu blog! Grande abraço!

Jefhcardoso

sergio marcone disse...

Calma, Helena... td cafa tem seu charme.