Siga-me.

6 de fevereiro de 2011

Preto no Branco no drama.


Chega de drama, chega de não saber que preto é preto e branco é branco e a expressão preto no branco quer dizer que você vai escrever num papel branco com tinta preta, eu vou ler e ter aquilo como documento. É isso. Chega de drama. Tenha uma só palavra. Seja antipático, fumante, alcoolatra, insuportável, mal humorado, sarcastico, chato, mas tenha uma só palavra.
Sem novelas mexicanas que incitam a um sofrimento por qualquer coisa, com aquelas mulheres entupidas de maquiagem e que quando choram não borram um centímetro. Vamos parar de protagonizar essas novelas que tá ficando feio. Vamos ser mais autênticos mesmo, mesmo sem educação nenhuma. 
Cuspa no chão, solte arrotos mal educados em público, fique feio, fedorento, oportunista, mas tenha uma só palavra. Ande na contramão, seja patrão capitalista selvagem, mas tenha uma palavra só. Roube no Planalto, faça assaltos à mão armada, mas tenha uma palavra só. 
Proclame a Independência, corte seus pulsos, veja filmes sem graça, mas tenha uma só palavra. Case 10 vezes, dirija mal, engorde 20 quilos ou seja anoréxica e raquítica, mas tenha uma só palavra. Não faça caridade, seja ruim, ou bom. Troque os nomes das mulheres que achar que deve trocar, mas tenha uma só palavra. Seja gay, hetero, bi, tri, mas tenha uma só palavra.
Vamos abolir os dramalhões e ter uma palavra só na vida. Drama combina com insegurança e dramas devem caber dentro de situações específicas e fortes. Tenha uma só palavra, sem dramas.

Nenhum comentário: