Siga-me.

1 de junho de 2011

Tudofisicopoeticaparahelena.

'Não sou poeta. 
Junto palavras no ritmo dos meus sentimentos.
Alegres ou tristes, eles refletem a amplidão da liberdade incondicional da felicidade. 
São firmes como verdade. 
Imperativos como o vento. 
São autênticos e fieis aos desejos. 
Não são demanda da solidão. 
São cores contrapondo-se ao mundo preto e branco das ilusões.
Encontrar você é como tropeçar numa estrela cadente no espaço.
É ser tomado pelo inesquecível primeiro abraço.
É ser a própria explosão do sentimento inicial. 
Big na essência, Bang como um vendaval.
Poeta ou não. 
Meus olhos te procuram no compasso do meu coração.'

Álvaro Alves
(Doutor em Física - UEFS, mas poeta)

Nenhum comentário: