Siga-me.

2 de junho de 2013

Lobon.


Sempre fui fã. Antes fã velada, escondida, por conta da igreja, que o tornava mais 'bandido' do que realmente era. O tempo passou e cada composição, cada som só aumenta minha paixão por esse cara.  Surpreendente, sensível, intenso, polemico, intrigante. Acompanhar sua vida e saber que é contemporâneo é bom demais (fui a um show aqui na minha cidade e rolou até foto, que perdi, dos tempos do Fotolog). Ainda mais fã agora, depois de ler seu  '50 anos a mil' (que meu amigo Di me emprestou). Ver que o que adoro ouvir e também sou fã faz parte da sua estante me deixa toda orgulhosa: Chet Baker, Cachorro Grande (fui até num show no Rock in Rio Café em Salvador e tenho tudo), Portishead e outros citados. Sou fã. Nem posso escolher uma só canção (várias contados os contextos em que foram criadas) porque são todas. Lobon, meu rock, meu romântico, vida intensa, vida longa a você.




Nenhum comentário: