Siga-me.

10 de outubro de 2013

Stop.

Parei, parei de querer parecer melhor do que os outros, de achar que sou melhor que aquela moça que se pinta e eu não gosto de me pintar. E se eu quiser me pintar, problema meu. Parei de dizer que sou um E.T. , apenas porque tenho pensamentos 'diferentes' acerca da vida e do seu movimento. Cansei de querer dizer que sou inteligente, que já li muito e que sou Cult. Cansei de ser filosófica e aristocraticamente complicada. Mas me deixem ser autêntica e não gostar muito de muita gente. 


Cansei de procurar animação em gente que só quer chorar ou alterar seu estado mental para ser legal. E cansei de gente mentirosa, que diz que não chora ou que é feliz a vida inteira. Cansei de tentar encontrar potencial em gente que não tem absolutamente nenhum. Cansei de acreditar em mudanças, em gente que sequer consegue lhe surpreender com UMA só coisa que demonstre que mudou ou que é sim, normal. E eu? Cansei de não me permitir ver, ouvir, sentir algumas coisas, apenas porque eu sempre detestei algumas coisas, mas, de repente, poderiam até me fazer bem, num momento ou outro. Parei disso.

Cansei. Cansei dos que se arvoram a dizer que gostam de todo mundo, quando na verdade, a sós com você, se revelam os mais peçonhentos, maledicentes e invejosos. Cansei dos preguiçosos mentalmente e dos que usam a ociosidade como explicação para sua inteligência e subversão. Cansei de ter que gostar do que alguém quer que eu goste. Cansei de não ser aquela que sempre fui.

Aceitem o meu gostar de ser só, de amar muito ou odiar muito, de me interessar por Camus ou por discussões profundas. Mas, não me afaste das coisas simples. Me deixe sentir coisas leves, simples, descomplicadas. Não me entorpeça e aperte meu cérebro APENAS com coisas bem elaboradas. Eu cansei e parei de me cansar dos que só são fantasiadas com uma fantasia só. O que vejo hoje é gente que se diz contracultural e SÓ contracultural. Cansativas, muito cansativas. 'Alternativos' em seus herméticos e sombrios pensamentos, dentro de uma redoma egóica e impavidamente inexpressiva. Cansei desses 'alternativos', que não me dão mais alternativa.

Cansei e parei. Parei de esquecer certas coisas e comecei a lembrar de outras, só para me dar prazer.  Parei de citar frases legais, só para ser benquisto. Parei de fazer tipo. Cansei de ser poser. Parei de complicar a musica, porque ela é bem simples, mesmo estando em minha lista o brega e os meus clássicos. Sim, eu tenho identidade e não sou, nem periferia, nem elite. Sou eu só. Sou a que cansou de fazer o mínimo esforço para 'estar inserida no social', fazendo o que não to a fim ou o que 'todo mundo faz'. Mas, se eu fizer o que todo mundo faz, é da sua conta?

Parei de ser outro, mesmo nunca sendo. Parei de brincar de adulta, mas me cansa as síndromes de Peter Pan e a fuga das responsabilidades, de adultos. Parei de pensar em desafetos e ignorá-los de vez, mesmo. Até porque se os amasse, na legitimidade do sentimento, teriam de mim ouro em forma de gente. Parei de contar minutos e de fazer e  refazer histórias. Já tenho histórias o bastante e as que virão, serão muito melhores, mesmo mais raras. Cansei de aventurar sensações, quero gostar de ver a vida me trazendo todas as que mereço, sem muitos esforços.

Parei.

Nenhum comentário: