Siga-me.

23 de fevereiro de 2014

Beijinho no ombro.


Tenho pena das atuais de alguns dos meus ex. Devo ter pena delas, como hoje tenho pena de mim quando estava na posição delas, já que eu é que era a enganada, ludibriada. Tenho pena delas porque estão iludidas por alguns erros. Sim, alguns foram realmente erros na minha vida e numa visão bem aprofundada da coisa, diria que, sob minha permissão, invadiram minha vida e, num espaço de tempo hábil, em que meu olhar foi sobressaltado pela visão clara das coisas, consegui sair fora. Mais um aprendizado, apenas, para a blindagem necessária.

Eles me ligam como ligavam para as ex, quando estavam comigo. Ex carentes, não uma ex como eu. Ou para outras, num discurso incoerente de fidelidade, de dedicação e de modernidade. O poliamor se tornou um discurso vazio e com um eco totalmente distorcido. Regras estabelecidas de que não se aceita isso ou aquilo, há a manifestação clara de ciúmes e outros sentimentos machistas e coercitivos, mas tá tudo zen, tudo bem, meu bem. Que nada, já deixei claro que me deixem em paz, sumam da minha vida, que só me fizeram e fazem mal, mas parece que gostam de ser maltratados.

Morro de pena delas e quando atendo às ligações, fico conversando, tentando explorar essa horta de egos, onde o que se colhe é uma plantação de alimentos podres, putrefatos, com gosto amargo. Por que algumas pessoas simplesmente não admitem que são inescrupulosas, indecentes, exibicionistas, perdidas, carentes? O que querem me procurando? Apoio e uma alforria moral? Se colocar como amigo da ex, mesmo querendo come-la, se ela permitir? Posar de bonachão? É, por que alguns 'foram lá' nas ex quando eu era a atual, mesmo que eu estivesse ocupando todos os espaços, se é que me entendem? O 'problema' está neles!

Ei, entendam, eu não sou uma pessoa carente. Entenderam? Eu não sou uma pessoa carente, que abre mais mão de NADA em prol de uma noite vazia ou de uma troca de amabilidades sem a menor probidade, só para alimentar meu ego e não me sentir só. Eu não sou carente. Não sou mais sua atual, que recebe um arsenal de manifestações do que vocês acham que seja amor. Ligar uma vez num dia de aniversário é admissível, para desejar um feliz aniversário, já que tiveram uma relação, mas sempre, com conversinhas, achando que todo mundo é idiota? Desenvolver uma amizade, ah, isso é sublime e é para poucos, que ainda tem escrúpulos e eu tenho uma amizade saudável com vários ex, mas com esses, não há condição alguma.

De amor vocês, alguns, não entendem nada! Posso dizer isso com propriedade e vocês sabem disso, já que a dificuldade de se afastarem de mim foi tamanha e o sentimento de perda, frustração e abandono fez-se valer, quando EU não quis mais, assim que descobri o o mal que me faziam, o pacote de porcaria que vocês eram e que só me consumiam e subtraíam, ao invés de somarem. Por que agora, estando com outra pessoa, não aprendem? Sabe porque? Porque não é todo mundo que tem essa capacidade de regeneração e auto suficiência. Haja gente carente, deslumbrada, que precisa de escorar em algum outro para sobreviver.

E coitadas dessas atuais. Ah, se eu pudesse dizer a elas tudo que gostaria, para livrá-las do infortúnio de tê-los ao lado e passar por coisas que eu passei e não desejo para ninguém. Como gostaria de dizer a elas que eles me ligam ainda dizendo que me amam, que elas são 'gente boa', igualzinho, óbvio e decerto, como faziam comigo. E elas não acreditariam que eles dizem para elas as mesmas, exatamente as mesmas coisas que me diziam, em troca de um bem estar ou de um efeito paliativo da sua carência e um habeas corpus da falta de caráter. E elas acreditam que com elas vai ser diferente, mas, olhem, não vai! Os tapas na cara virão, mais dia, menos dia.

Eu ia sacudir essas moças e dizer que elas estão sendo extorquidas, vilipendiadas. Essas pessoas são o que há de mais doloso para uma mulher. Não estou vomitando no prato que comi, embora meu desejo seja esse, o de vomitar na cara de alguns, visto que, num resumo da ópera, me causam até náuseas lembrar. Admito terem sido erros que não mais vou repetir e consegui mante-los numa distância regulamentar, de forma que sequer saibam mais a respeito. Sobre os telefonemas, me ligam de números diferentes e quando ouço a voz, desligo. 

Já troquei de numero e de endereço, coisa que as ex de quando eu era a atual não fizeram, deve ser porque continuavam acreditando que o que eles diziam era verdade. Tenho pena de algumas atuais e, como ex, me coloco à disposição para maiores informações, caso seja necessário. Eu sou expert em abrir olhos alheios, em alertar sobre gente ruim,  sem caráter que já passou pela minha vida, ainda mais quem eu permiti que entrasse em minha vida e me deu muito material para tal. Sim, claro, as pessoas mudam, mas um exemplo claro de que não mudaram é porque meu telefone ainda toca e é alguns deles, não apenas para me dizerem coisas saudáveis, mas para traírem, e isso é inadmissível para mim, que já senti na pele essa 'sensação'. Mas quer saber? Se não acreditam, se querem pagar pra ver, desculpem, mas, f****-se!

Para terminar, repito, não sou carente, não preciso mais de vocês (aliás, nunca precisei) e sou uma ex, ainda bem, e não mais uma coitada de uma atual namorada, que deveria abrir os olhos e mandar alguns vermes por aí pastarem, virarem homens de verdade, e não um bando de idiotas, se achando e achando que podem enganar a todo mundo por muito tempo. Sei que as pessoas são diferentes e elas podem gostar, de repente, de sofrer, mas acreditem, eu não gosto de sofrer e passei por coisas indizíveis aqui com alguns desses atuais de vocês, meus ex. Refeita, acredito que os melhores psicopatas e sacripantas conseguem as vezes enganar sorrateiramente algumas boas pessoas, fica aqui meu alerta. E não duvide se daqui a pouco meu telefone não tocar e for seu namorado de novo.

Nenhum comentário: