Siga-me.

27 de maio de 2016

Mudança na união masculina.



A ideia é a de que os homens sabem ser amigos. Eles são coniventes. Eles se cumprimentam com palavrões mas no fundo são super brothers. Eles conseguem passar horas juntos, em bandos, tomando cerveja, bebendo e falando sobre futebol e mulheres. Sim, os homens são muito companheiros mesmo. Enquanto a fama é a de que as mulheres se digladiam, disputando esses mesmos homens muitas vezes, eles são fiéis uns aos outros e lavam suas honras quando vilipendiados, traídos, passados para trás. Ainda mais se o objeto dessa traição for uma mulher. Ainda mais se o objeto dessa traição for uma mulher em comum.

Esse caso de uma menina de 17 anos estuprada por 33 homens é apenas um dos casos horríveis que sabemos todos os dias, embora seja horrível. Embora ainda há muito o que mudar quanto às mulheres, já estamos mais que unidas e hoje não suporto mais essa ideia de que os homens são comparsas e as mulheres são inimigas. Já basta disso. Já basta de ver mulheres  (não importa a classe social, a cor, o gênero, a idade) serem abusadas, destratadas, perseguidas, aprisionadas por homens e moleques machistas e que usam escudos para se protegerem. Ouvir de irmãos, filhos homens, pais, amigos,  expressões machistas  e não nos prepararmos para extinguir isso nos fazem inimigas, passivas. Vamos nos tornar iguais a eles na parceria, na conivência, na proteção coletiva, na denúncia, no aconselhamento, na união.

Esses homens doentes desse estupro tem que ser punidos de maneira severa e esses homens 'normais' que estão perto de nós, que diante de qualquer pressão (ou não) querem ser egressivos, machistas, misóginos, tem que saber que, ou mudam suas posturas, ou tem que mudar sua opção sexual. Ou tem que passar a viver sós, sem uma mulher do lado que seja compreendida enquanto mulher, humana, dona de sensibilidade sim, mas também de fortaleza e toda e qualquer outra propriedade cognitiva dita apenas masculina. Força física não é motivo para desrespeito e não deve servir de escudo para o homem. E é disso que qualquer homem covarde se vale.

Enquanto eu não enxergar os homens se unindo também contra essa selvageria masculina não vou sossegar. Já passou do tempo de vermos mudanças e acabar com essa loucura doentia masculina. Se reúnam agora para defender as mulheres e não apenas suas mães, suas filhas, suas irmãs. Parem de uma vez por todas de se reunirem para denegrir as mulheres e briguem por isso! Chega de querer ser macho fazendo parte de uma 'macharada' que desrespeita as mulheres e as tratam como coisas ou como uma bola de futebol. E seja a mulher o que for, o que diga, o que queira, o que mostre, ela não merece desrespeito de ninguém. A união masculina em torno de preferências masculinas tem que passar pela preferência em respeitar as mulheres e protege-las deles mesmos, infelizmente.

Nenhum comentário: