Siga-me.

6 de maio de 2017

Se você nadar.


Mágoa
Põe na sua boca só palavra amarga
Aprisiona sua cabeça numa errada
Deixa o coração aflito sem razão

Mágoa
Os micróbios gostam de água parada
E quem vai te libertar dessa roubada
Só você possui a chave da prisão

Mas se você nadar até a outra margem
Vai olhar além dessa miragem
Livre do rancor
Toda sua dor
Vai na correnteza como água

Mágoa
Faz você fechar as portas da alegria
Remoendo os mesmos erros noite e dia
Sem futuro no escuro de um porão

Mágoa
Não deixa cicatrizar essa ferida
Não avança, não descansa, só castiga
Te põe à deriva só dizendo não

Mas se você nadar até a outra beira
Vai olhar além dessa cegueira
Livre do rancor
Toda sua dor vai correr agora como água

Mágoa
Crucifica mais os dias sem se dar conta
Não consegue ser legal com quem encontra
Ela entra e toma conta de você

Mágoa
Murcha as flores do jardim com uma praga
Enche a sua casa de velhos fantasmas
Deixa o lixo acumulado apodrecer

Mas se você puder nadar até o outro lado
Vai ver tudo menos embaçado
Livre do rancor
Todo seu amor
Vai jorrar agora como água

Nenhum comentário: